Loading...

Blog

Os 9 maiores erros com cartão de visita

O cartão de visita é uma das peças chaves da identidade visual de uma empresa ou de um profissional liberal.

Muitas vezes é tratado como algo inútil ou sem grande importância, mas ele tem muito a dizer sobre a pessoa ou sobre o logotipo que está impresso em sua face.

Fique atento ao que seu cartão está dizendo sobre você e o mais importante: o que você está fazendo para gerar valor para sua imagem profissional.

Mas afinal, como fazer e usar um cartão de visita? Veja a seguir dicas e erros que você deve evitar para fazer sucesso com seu cartão de visita:

1 – A qualidade do cartão
Cuidado! Muitos acham que preço igual a valor.
Um cartão com preço de produção muito baixo mostra que é uma impressão coletiva. O que não é um problema, mas esses cartões de baixo custo tem um público específico e se este não for o seu caso, evite! O seu cliente merece receber algo individual e único.

02 – A entrega do cartão
O momento da troca de cartões é tão importante quanto a sua qualidade. Sua postura será transferida para aquela pequena peça que irá fazer parte da carteira ou do porta-cartão do seu novo contato. E mais, pode ser a diferença para seus dados fazerem parte da agenda do celular de outra pessoa, um lugar tão cobiçado.

Aproximar-se com calma, cumprimentar com segurança, olhos nos olhos e um sorriso cordial são um bom começo e pavimenta o instante seguinte onde se pede permissão para entregar seu cartão. Mantenha a postura segura, mas aja com naturalidade. Apesar de ser um momento importante, o cartão é uma extensão do que se pretende fazer e ninguém se relaciona com pessoas “robotizadas”.

03 – Não ter a “personalidade” do profissional ou empresa
O cartão de visitas deve transparecer a filosofia da empresa e dos valores que ela busca construir no mercado. Ou seja, imagine que um advogado possui um cartão com um design ‘descolado’, com tarjas multicoloridas ou fontes infantis. Qual credibilidade ele vai transmitir? O cartão pode ter um apelo contemporâneo e moderno, mas a área pede que seja tradicional. Para um profissional da saúde por exemplo, cores suaves são uma boa pedida, com letras maiores se você trabalha com pessoas com idade mais avançadas. Na hora de bolar a arte do seu cartão é essencial pensar no seu público alvo. Para isso, é fundamento o auxílio de um designer gráfico para evitar que o seu negócio ou sua mensagem chegue de forma distorcida a quem recebeu seu cartão.

04 – Ignorar a utilização de elementos tecnológicos

Muitas pessoas ignoram como a tecnologia faz parte de nossas vidas. Por exemplo, quantos amigos e clientes seus usam smartphones? Pois é, com um código QRCODE em uns dois ou três cliques todos os dados do seu cartão de visita estarão na agenda do celular do cliente. Simples, não é?
E que tal uma aplicação no cartão em serigrafia ou silkscreen? Apesar de ser uma técnica de impressão milenar, hoje em dia se consegue efeitos incríveis de impressão e podem representar o diferencial da peça.
Você presta serviços a todo o tempo e facilitar a vida do seu cliente deve ser uma preocupação constante.

05 – Dados incompletos
Como vou passar a imagem de atendimento individualizado se o meu cartão é genérico e preciso escrever meu nome ou outros dados pessoais nele? Esta é uma nítida situação de improviso e de alguém que gera pouco valor a sua imagem.
Caso queira apenas dar seus contatos pessoais em algumas situações, não tem problema, mas que pelo menos os contatos comerciais estejam presentes no cartão.

06 – Falta de cuidados com a guarda
O porta-cartões existe para ser usado! Ele garante o bom aspecto do cartão e evita que amasse ou suje. Além de transparecer organização e valor aquela peça.

07 – Cartão “coletivo”
Algumas vezes, coloca-se diversos nomes em um único cartão. Isso não deve ser feito, pois é preciso criar um produto personalizado e único para cada profissional da empresa. Mas se for preciso, é melhor um cartão com diversos nomes do que escrever os dados a caneta ou com carimbo!!

08 – Receber cartão de visitas com desdenho ou indiferença
Também se deve valorizar o cartão do outro. Se alguém achou necessário te dar um cartão é por que acredita ter algo a acrescentar e que se pode ter um próspero e promissor relacionamento comercial. Só se aprende a ter postura na entrega de um cartão de visitas se você a tiver na hora de receber.

09 – Perder oportunidades de entregar
Bom, agora que você já buscou a ajuda de um designer gráfico, tem um cartão que reflete sua personalidade, sua intenção, é contemporâneo, tem qualidade visual, você já tem postura e segurança, só falta entregar ao seu Prospects. Utilize-se de todos os sentidos para perceber uma boa oportunidade, olhe ao redor, norteei-se por aspectos econômicos e também da sua intuição indicando “vá em frente”. Grandes negócios pedem uma boa dose, não só de razão mas também de intuição.

 

E você já presenciou algumas destas situações?

 

Haroldo Brito
Criativo, Empreendedor e
Agente de Marketing Digital
da Criatus Design

Deborah Delbart
Revisão

Leave a Comment


Fale Conosco

Cel: 61 98178-4001 — Tel: 61 3542-1703

Edíficio America Office Tower, Sala 1703
SCN, Quadra 1, Bloco F, CEP 70711-905, Brasília-DF

haroldo@criatusdesign.com.br
https://www.instagram.com/criatusdesign/

Bienais, Prêmios e Reconhecimentos

(2017) 12ª Bienal Brasileira de Design Gráfico.

(2016) 17º Prêmio Jorge Salim.

(2015) 11ª Bienal Brasileira de Design Gráfico: shortlist nas categorias Livro e Calendário.

(2013) 10ª Bienal Brasileira de Design Gráfico: shortlist na categoria Livro; 14º Prêmio Jorge Salim de produção gráfica.

Projetos